quarta-feira, 25 de maio de 2011

Orixás



 A umbanda tem como um dos fundamentos principais a adoração a Deuses, conhecidos como ORIXÁS.

As palavras são divididas ORI significa cabeça e significa força ou luz, (força na cabeça, cabeça com luz) para algumas nações e para outras ORI significa cabeça e significa guardião (guardião da cabeça).

Assim como para igreja católica uma pessoa que praticasse o bem, poderia tornar-se santo e ser cultuada, os africanos acreditavam que cada força da natureza que não podia ser controlada pelos homens deveria ser cultuada e respeitada, pois temiam que essas forças naturais pudessem causar-lhes algum prejuízo.

Então assim como se fazia com os Deuses gregos e até mesmo os devotos da época do antigo testamento, os africanos reverenciavam essas forças dando-lhes seus próprios alimento ou objetos pessoais, para agradá-las e assim serem protegidos da fúria da Natureza. Muitos espíritos eram cultuados aos pés de montanhas, beiras de rios, mar, árvores frondosas.

Contesta-se muito sobre determinados Orixás terem características terrenas como serem mais amorosos ou mais rigorosos, serem mais pacientes ou não, isso tudo se explica ao observarmos que as forças da natureza são distintas entre si, um vento pode ser uma simples brisa ou um vendaval, um raio pode ser maior ou menor em descarga elétrica.

Os Orixás como já dito anteriormente simbolizam uma força da Natureza, assim como no Candomblé, porém na Umbanda não são fortalecidos com a matança de animais, o sangue não são oferecidos aos Orixás, as oferendas com bichos são feita com eles preparados como alimentos ou vivos, libertando-o no “reino” do Orixá para que o mesmo busque-o energeticamente falando, sem a necessidade da morte e da utilização do sangue do animal nos trabalhos espirituais.

Os Orixás nos influenciam a ter uma maior integração com a natureza, pois dessa forma, o elo de ligação com estes permite que nos aproximemos de Deus, nosso Pai Poderoso e Criador de todas as coisas boas do universo, como se estivéssemos tomando um banho de luz pura e revigorante, e com essa aproximação, maior será nosso desenvolvimento, nossa energia, nosso axé junto ao astral e mais fácil será nosso caminhar dentro da esperada evolução espiritual.

No Brasil, existe uma divisão nos cultos: Ifá, Egungun, Orixá, Vodun e Nkisi, são separados pelo tipo de iniciação sacerdotal.
 
_ O Culto de Ifá só inicia Babalawos, não entram em transe.

_ O Culto aos Egungun só inicia Babaojés, não entram em transe.

_ O Candomblé Ketu inicia Iaôs, entram em transe com Orixá.

_ O Candomblé Jeje inicia Vodunsis, entram em transe com Vodun.

_ O Candomblé Bantu inicia Muzenzas, entram em transe com Nkisi.

Em cada templo religioso são cultuados todos os Orixás, diferenciando que nas casas grandes tem um quarto separado para cada Orixá, nas casas menores são cultuados em um único (quarto de santo) termo usado para designar o quarto onde são cultuados os Orixás.

Alguns Orixás são só assentados no templo para serem cultuados pela comunidade, exemplo: Odudua, Oranian, Olokun, Olossa, Baiani, Iyami-Ajé que não são iniciados Iaôs para esses Orixás.

A Iyalorixá ou o Babalorixá são responsáveis pela iniciação dos Iaôs e pelo culto de todo e qualquer Orixá assentado no templo, auxiliada pelas pessoas designadas para cada função. Exemplo o Babaojé que cuida da parte dos Eguns e Babalosaim que é o encarregado das folhas.

Apesar de serem de origem daomeana, Nanã, Obaluaê, Iroko, Oxumarê e Yewá, são cultuados nas casas de nação Ketu, mas são muito raros os Iaôs que são iniciados, houve casos de passar vinte ou trinta anos sem se iniciar ninguém para esses Orixás que são cultuados em locais separados dos outros.

Existem Orixás que já viveram na terra, como Xangô, Oyá, Ogun, Oxossi, viveram e morreram, os que fizeram parte da criação do mundo esses só vieram para criar o mundo e retiraram-se para o Orun, o caso de Obatalá, e outros chamados Orixá funfun (branco).

Existem Orixás que são cultuados pela comunidade em árvores como é o caso de Iroko, Apaoká, os orixás individuais de cada pessoa que é uma parte do Orixá em si e são a ligação da pessoa, iniciada com o Orixá divinizado.

Ou seja uma pessoa que é de Xangô, seu orixá individual é uma parte daquele Xangô divinizado com todas as características, ou como chamam arquétipo.

Existe muita discussão sobre o assunto: uns dizem que o Orixá pessoal é uma manifestação de dentro para fora, do Eu de cada um ligado ao orixá divinizado, outros dizem ser uma incorporação mas é rejeitada por muitos membros do candomblé, justificam que nem o culto aos Egungun é de incorporação e sim de materialização. Espíritos (Eguns) são despachados (afastados) antes de toda cerimônia ou iniciação do candomblé.

Na África cada Orixá estava ligado a uma cidade ou a um país inteiro. Tratava-se de uma série de cultos regionais ou nacionais.

Sàngó em Oyo, Yemoja na região de Egbá, Iyewa em Egbado, Ogún em Ekiti e Ondo, Òsun em Ilesa, Osogbo e Ijebu Ode, Erinlé em Ilobu, Lógunnède em Ilesa, Otin em Inisa, Osàálà-Obàtálá em Ifé, Osàlúfon em Ifon e Òságiyan em Ejigbo.

A realização das cerimônias de adoração ao Òrìsá é assegurada pelos sacerdotes designados para tal em sua tribo ou cidade.

Na Mitologia Yoruba, Olorun é o Deus supremo do povo Yoruba, que criou as divindades chamadas (português Orixá; alemão Orisha; espanhol Oricha; Yoruba Òrìsà) para representar todos os seus domínios aqui na terra, mas não são considerados deuses. São cultuados no Brasil, Cuba, República Dominicana, Porto Rico, Jamaica, Guiana, Trinidad e Tobago, Estados Unidos, México e Venezuela.

Na mitologia há menção de 600 Orixás primários, divididos em duas classes, os 400 dos Irun Imole e os 200 Igbá Imole, sendo os primeiros do Orun (céu) e os segundos da Aiye (Terra).

Estão divididos em Orixás da classe dos Irun Imole, e dos Ebora da classe dos Igbá Imole, e destes surgem os Orixá Funfun (brancos, que vestem branco, exemplo:Oxalá, Orunmilá), e os Orixá Dudu (pretos, que vestem outras cores, exemplo:Obaluayê, Xangô).

Exu
Orixá guardião dos templos, encruzilhadas, passagens, casas, cidades e das pessoas, mensageiro divino dos oráculos.

Ogum
Orixá do ferro, guerra, fogo, e tecnologia.

Oxóssi
Orixá da caça e da fartura.

Logunedé
Orixá jovem da caça e da pesca.

Xangô
Orixá do fogo e trovão, protetor da justiça.

Ayrà
Usa branco, tem profundas ligações com Oxalá e com Xangô.

Obaluaê
Orixá das doenças epidérmicas e pragas, Orixá da Cura.

Oxumaré
Orixá da chuva e do arco-íris, o Dono das Cobras.

Ossaim
Orixá das Folhas sagradas, conhece o segredo de todas elas.

Oyá ou Iansã
Orixá feminino dos ventos, relâmpagos, tempestades, e do Rio Niger .

Oxum
Orixá feminino dos rios, do ouro, jogo de búzios, e protetora dos recém nascidos.

Iemanjá
Orixá feminino dos lagos, mares e fertilidade, mãe de muitos Orixás.

Nanã
Orixá feminino dos pântanos e da morte, mãe de Obaluaê.

Yewá
Orixá feminino do Rio Yewa, considerada a deusa da beleza, da adivinhação e da fertilidade.

Obá
Orixá feminino do Rio Oba, uma das esposas de Xangô.

Axabó
Orixá feminino da família de Xangô.

Ibeji
Divindade protetora das crianças.

Irôco
Orixá da árvore sagrada, (gameleira branca no Brasil).

Egungun ou Egum
Ancestral cultuado após a morte em Casas separadas dos Orixás.

Iyami-Ajé
É a sacralização da figura materna, a grande mãe feiticeira.

Onilé
Orixá do culto de Egungun .

Onilê
Orixá que carrega um saco nas costas e se apóia num cajado.

Oxalá
Orixá do Branco, da Paz, da Fé.

OrixaNlá ou Obatalá
O mais respeitado, o pai de quase todos orixás, criador do mundo e dos corpos humanos.

Ifá ou Orunmila-Ifa
É o porta-voz de Orunmila, Orixá da Adivinhação e do destino, ligado ao Merindilogun.

Odudua
Orixá também tido como criador do mundo, pai de Oranian e dos yoruba.

Oranian
Orixá filho mais novo de Odudua

Baiani
Orixá também chamado Dadá Ajaká

Olokun
Orixá divindade do mar

Olossá
Orixá dos lagos e lagoas

Oxalufon
Qualidade de Oxalá velho e sábio

Oxaguian
Qualidade de Oxalá jovem e guerreiro

Orixá Oko
Orixá da agricultura.

Algumas pessoas ousam indevidamente acusar a influência astral recebida por seu Orixá, para justificar posturas indevidas como agressividade excessiva (em relação aos filhos de Ogum que se dizem “briguentos” por força do Pai), mentir descaradamente para os outros (em relação às filhas de Oxum e Iemanjá que dizem ser dissimuladas) e assim sucessivamente. Isto é um erro!!!

Essas divindades são verdadeiros “pais”, pois se seus filhos de terra tiverem comportamento inadequado, aqueles atuarão com firmeza junto a estes para que voltem a ter comportamento positivo e do bem, por isso é comum ouvir que “fulano” está ruim porque seu Orixá castigou, alegação totalmente inverídica, uma vez que Orixá não castiga, somente ensina e direciona.

Vamos esclarecer melhor, se uma determinada pessoa começa a ter hábitos negativos, ilícitos ou em desajuste com o que deseja o Orixá, ele não tem sintonia para se aproximar de seu filho e afastado ele permite que espíritos inferiores influenciem a vida do mesmo.

Ocorrendo um fato como esse as afirmações que “fulano está doente porque Obaluaê castigou”, “ciclano está desempregado porque Ogum ou Oxossi castigaram” ou ainda que “beltrana está sofrendo no relacionamento amoroso porque Oxum castigou” é pura falta de conhecimento, ignorância total sobre a essência dos Orixás, novamente afirmamos Orixá não castiga, ensina!

Pacto de amor universal

Pede a evolução que você se faça veterano da experiência terrestre.
Não se amedronte diante do erro, mas não caminhe desprevenido.
A estrada humana conserva armadilhas, a cada passo, colhendo almas invigilantes, contudo, só na crosta planetária obterá você as conquistas que lhe melhorem o ser à luz da imortalidade.
Há espíritos que, por muitas vezes, partem da carne através da morte e à carne voltam através do berço, quais estátuas inermes que, depois de enterradas durante séculos, volvem ao exame de outrem, sem qualquer aspecto novo que lhes altere os esgares fixos.
Domine as próprias tendências inferiores que lhe pareçam insubjugáveis.
Você é soberanamente livre na intimidade do próprio espírito.
Apenas você decifrará enigmas que transporta na consciência.
Somente você distorcerá as meadas de sombra que lhe surjam no pensamento.
Não tente sufocar a sua sede de infinito, porém não se renda às ilusões da maioria.
Se a taça das espetaculares vitórias humanas quase sempre se destaca repleta de lágrimas alheias, a taça das legítimas vitórias do espírito transborda suor individual.
Você será sempre o principal sobrevivente de seus dias.
A sepultura é o nível das medidas terrenas, mas a vida é multiface, no Mais Além; à vista disso, na realidade substancial as suas atitudes e ações meritórias é que constituem a base de sua felicidade e a sua prédica irresistível.
Cale gemidos e suspiros frustrados, decidindo-se a realmente servir.
O amor puro é a síntese de todas as harmonias conhecidas.
A fraternidade é o pacto de Amor Universal entre todas as criaturas perante o Criador.
Nossa alegria somente viceja em conjunto com a alegria de muitos.
De que vale a alguém o título de herói numa tragédia? Onde o benefício de uma santidade que terá brilhado no deserto, sem ser útil a ninguém?
Com o Espiritismo nasceu na Terra a fé raciocinada.
Você, portanto, interiormente está livre para ajudar a você mesmo, consciente qual se encontra de que auxiliar com desinteresse aos outros é interpretar vivamente a filosofia do Cristo e consolidar a segurança do próprio bem.

QUEM INVENTOU A REENCARNAÇÃO?

QUEM INVENTOU A REENCARNAÇÃO?

Quem inventou a reencarnação?
 
 Se a teoria da evolução através das reencarnações  foi inventada por alguém, como dizem, quem a inventou?
Foi Satanás?
Foram seres humanos?
Se foi Satanás, ou mesmo seres humanos, então eles seriam bem mais sábios e teriam mais elevado senso de justiça e de amor do que Deus.
Por quê?       
Porque as explicações reencarnacionistas mostram a vida, o universo e os seres vivos sendo regidos por mecanismos incrivelmente sábios e justos. Por esse enfoque cada criatura racional é responsável por si mesma, pelo próprio crescimento como ser cósmico, partícipe da vida e dos tesouros que estão à disposição de todos, desde os intelectuais e artísticos, até os culturais e os afetivos, etc.. Também mostra como todos sempre recebem novas e renovadas oportunidades de reajuste ante as leis maiores, podendo resgatar suas faltas e liberar-se dos pesos de consciência, de forma legítima e justa.
De outro lado, temos as teorias das religiões que se guiam pela Bíblia, tendo-a como a palavra de Deus, interpretada ao pé da letra. Por elas o sistema regente da vida é terrivelmente injusto, cruel e pouco criativo. Concebem um Deus todo envolvido com o cotidiano humano, interesseiro e facilmente enganável, além de parcial, tirano, sádico, cruel e incompetente, por não saber conduzir suas criaturas por caminhos mais justos de crescimento e aperfeiçoamento.

 (Na página Bíblia, neste site, há mais detalhes sobre o assunto, com indicações de onde podem ser encontrados, na própria Bíblia, todos esses enfoques aos quais nos referimos)
Mas quando entendemos Deus como a causa primária de todas as coisas, a soberana inteligência, justiça, sabedoria e amor, como no-lo apresentou Jesus e como o bom senso nos indica, não podemos deixar de crer na reencarnação e na lei de causa e efeito. Não fosse assim, teríamos de concluir que existem seres mais inteligentes, mais competentes e criativos, com mais elevado senso de justiça e de amor do que Deus, seres esses que teriam inventado os mecanismos da reencarnação e a lei de ação e reação para conduzir o caminhar da humanidade.
Será possível existir alguém melhor e mais competente do que Deus?
Se existe, esse alguém terá de ser, forçosamente, superior a Ele. Isto favorece a teoria de que Jeová não seria Deus, mas sim o Espírito responsável pela evolução do povo israelita. Isto realmente faz sentido.
As incongruências e absurdos encontrados no Antigo Testamento autorizam a apresentação de hipóteses, algumas das quais foram levantadas por Jaime Andrade no livro O Espiritismo e as Igrejas Reformadas:
a) certamente Moisés, visando infundir respeito naquele povo rude e orgulhoso, atribuía à divindade todos aqueles rompantes de ira, ameaças e ordens cruéis de que o Antigo Testamento está repleto, assim como, também, de tantas outras leis e orientações, como as dos holocaustos, oferendas etc.;
b) é bem provável que os seres espirituais responsáveis pela evolução do povo israelita se fizessem representar por Jeová, uma deidade tribal, talvez até mais de uma, como se pode inferir pela leitura de Gen. 3:22: “Eis que o homem é como um de nós, sabendo o bem e o mal”;
c) o Protetor da nação israelita seria uma entidade mais ou menos identificada com a índole guerreira da raça, pois cada homem e cada povo tem um Guia espiritual compatível com seu próprio grau evolutivo; talvez fosse algum dos seus antepassados, dotado da autoridade necessária para impor-se e dominar.
Esta hipótese é confirmada em 2o Samuel 7:6, quando Jeová disse que habitava no tabernáculo, ou “de tenda em tenda” (1o Crôn. 17:5); em Números os capítulos 28 e 29 são dedicados às ofertas contínuas e às das festas solenes, ofertas essas constituídas de sacrifícios de bodes, cordeiros, novilhos, carneiros, além de manjares e bebidas alcoólicas. Em onze dessas orientações, quando se trata dos sacrifícios de animais, há a referência ao aroma agradável ao Senhor, como no cap. 28, vers. 27: “Então oferecereis ao Senhor por holocausto, em aroma agradável, dois novilhos, um carneiro e sete cordeiros de um ano”.
Também havia bebidas alcoólicas, conforme se lê no cap. 28, vers. 7: “A sua libação será a quarta parte de um him para um cordeiro; no santuário oferecerás a libação de bebida forte ao Senhor”. No Dicionário Aurélio se lê: “Libação: 1. Ato de libar. 2. Entre os pagãos, ritual religioso que consistia em derramar um líquido de origem orgânica (vinho, leite, óleo etc.) como oferenda a qualquer divindade. 3. Ato de libar ou beber, mais por prazer que por necessidade.”
Pense um pouco no absurdo dessa idéia: o Criador e mantenedor do universo e da vida, habitando nas tendas dos judeus e recebendo prazerosamente oferendas de álcool e de sangue...
Esse tipo de procedimento pode ser encontrado, hoje, embora em menores proporções, nos terreiros que praticam rituais com bebidas alcoólicas e sacrifício de animais. Esses rituais geralmente são destinados a fazer o mal a alguém, ou a desmanchar um mal que já fora feito num formato semelhante.
Então perguntam: como pode um espírito beneficiar-se com esse tipo de coisas?
Muitos espíritos menos evoluídos, cujos corpos espirituais são mais adensados, por sua maior proximidade com a matéria física, e em razão de seu atraso espiritual, procuram nutrir-se com energias animalizadas, a fim de poderem dar continuidade às sensações materiais, como se ainda tivessem o corpo carnal. E eles sugam as energias do sangue que é derramado em sua intenção, assim como de outros elementos que lhes são oferecidos, encontrando nisso grande prazer.
Ocorre, assim, que essa aura de sacralidade e intocabilidade que foi dada à Bíblia tem sido usada ao longo dos séculos como recurso para alienar consciências, manietando-as aos ditames das religiões e, com isso, causando indescritíveis prejuízos à evolução espiritual dos povos que vêm se guiando por ela.


Mediunidade

Mediunidade
A mediunidade é um canal entre nós
e a dimensão espiritual.
Ele pode ser de luz ou de sombras...
 Cabe ao médium iluminar esse canal com os valores mais
nobres da vida, utilizando-o para a prática do bem...
 ... ou torná-lo em instrumento de interesses
 rasteiros, gerando sofrimentos para si mesmo,
nesta mesma vida e em futuras reencarnações.

Muitos médiuns, antes da sua reencarnação, aceitaram a tarefa mediúnica como opção de resgate de erros de vidas passadas. Por isso não se trata de pessoas diferentes, favorecidas ou desfavorecidas pela vida.
Mas todo aquele que comece a sentir sintomas que indicam mediunidade, deve começar a pensar com seriedade sobre o assunto.
Não é em vão que os poderes superiores nos dão faculdades mediúnicas. Elas existem para podermos entrar em contato com o mundo espiritual, receber notícias dos que se foram, esclarecimentos sobre a vida nessa outra dimensão, sobre as leis naturais e sobre todos aqueles “porquês” que tanto angustiam a alma humana. Mas existem principalmente como instrumentos para a prática do bem, no atendimento a espíritos sofredores e obsessores, no consolo aos aflitos de toda natureza e para alívio e cura de enfermidades do corpo e da alma.Sabe-se que a tarefa mediúnica é programada antes da reencarnação e, muitas vezes, ela representa uma troca nas formas de resgate kármico. Digamos que um espírito, conhecendo ou lembrando-se de uma ou mais de suas vidas passadas, nas quais cometeu faltas graves perante a Lei Maior, decide-se a resgatá-las. Entende então, que para acabar com aquele remorso, retirar aqueles “pesos” de sua consciência profunda, precisa renascer na Terra e purgar suas culpas numa existência de sofrimentos ou limitações.
Nessas situações, e quando há merecimento de sua parte, ele pode conseguir uma troca. Em vez de reencarnar com um programa de vida repleto de dores e aflições, irá retornar á matéria trazendo um compromisso de trabalho mediúnico. É a permuta de sofrimentos por uma tarefa de amor. E lembramos, a propósito, que o apóstolo afirmou: “O amor cobre uma multidão de pecados”.
Assim, em vez da doença, da penúria, das deficiências físicas ou problemas semelhantes, esse espírito reencarna trazendo compromisso de trabalho mediúnico, inteiramente gratuito, visando apenas fazer o bem, ajudar o próximo necessitado.
Também é verdade que muitos médiuns sofrem... e muito. Sem dúvida sofreriam muito mais, não fosse a sua tarefa mediúnica.
Mas há também casos de mediunidade que não representam resgate, mas uma tarefa de amor que alguém resolveu assumir.
Se o sofrimento é caminho de evolução, também é instrumento de contenção e de equilíbrio. A dor, queiramos ou não, nos preserva de muitas quedas espirituais, e muitas almas valorosas não a dispensam de suas programações reencarnatórias.
Sempre que alguém vai voltar à terra comprometido com tarefa mediúnica, os mentores elaboram um planejamento para suas futuras atividades. Eles também o preparam devidamente, para poder servir, quando na Terra, como intermediário entre os encarnados e os desencarnados.
O futuro médium então renasce e cresce, recebendo os devidos cuidados da parte dos espíritos responsáveis pela sua tarefa.
Então, ao aproximar-se a época em que deve iniciar a sua atividade mediúnica, começam a lhe ocorrer coisas estranhas: perturbações as mais variadas, doenças que os médicos não conseguem diagnosticar, acidentes anormais, sensações perturbadoras como arrepios e formigamentos, sonhos esquisitos, pesadelos, dores de cabeça, visão ou audição de espíritos, e outras semelhantes.
Nessas ocasiões sempre aparece alguém para dizer que isto pode significar mediunidade.
Pois bem, quando o médium, obedecendo ao compromisso assumido, inicia o desenvolvimento de suas faculdades, também passa a merecer assistência dos bons espíritos, que irão orientá-lo e ajudá-lo de acordo com permissão superior. Mas, para que possa receber essa ajuda é necessário que se torne merecedor, sendo dedicado, responsável, e procurando melhorar sempre as próprias atitudes, tornado-as mais compatíveis com a nobreza de uma tarefa no bem.
O médium deve também trabalhar, sem cessar, pela própria evolução ou crescimento interior; dedicar-se a leituras de elevado teor espiritual, como por exemplo “O Evangelho Segundo o Espiritismo”. A conduta reta e o amor fraterno representam a sua segurança e equilíbrio como medianeiro entre a dimensão material e a espiritual. Isto é fundamental para fortalecer o seu campo energético e situá-lo fora da faixa de sintonia com entidades inferiores.
Nos meios espíritas é onde poderá encontrar maior segurança para suas atividades, porque é onde melhor se conhece e mais seguramente se trabalha no campo mediúnico.
Mas a mediunidade também pode ser uma faca de dois gumes: com Cristo, na caridade mais pura e sob a direção de pessoas experientes e verdadeiramente fraternas, apresenta-se como ponte de luz entre a Terra e o Céu. Mas quando se propõe ao atendimento a interesses rasteiros, ao ganho de bens, de posições, de influência ou status, ou pior ainda, a fazer o mal, ela se transforma em canal para espíritos das sombras com resultados imprevisíveis, mas sempre muito ruins.
E o pior ocorre no retorno ao mundo espiritual, depois da morte. Ali, o médium faltoso terá de amargar suas dores, seus remorsos e o resultado de suas ações irresponsáveis ou antifraternas, sem falar em que terá de recomeçar tudo outra vez, e em condições mais desfavoráveis.
Na maioria dos casos, o candidato a médium começa a receber o chamamento para a tarefa e não atende; muitos por medo, outros por acomodação e outros ainda, por causa de suas religiões, pois a maioria delas, sem conhecerem bem o assunto, condenam a mediunidade e a comunicação dos espíritos.
Mas as suas faculdades certamente começarão a aflorar, mesmo assim, no tempo previsto. Só que, pela falta de orientação adequada e pelo não cumprimento do compromisso assumido antes da reencarnação, elas podem transformar-se em canal para as mais diversas perturbações, podendo desembocar em doenças ou em desequilíbrios os mais variados, de conseqüências imprevisíveis.
É preciso, no entanto, ver que não foi a mediunidade a causadora desses problemas, mas sim, o descaso do próprio médium que deixou de cumprir seus compromissos.

PERGUNTA FREQUENTE

É possível que todas as pessoas sejam médiuns?

De certa forma todas as pessoas são médiuns, porque todas são passíveis de serem influenciadas pelos espíritos, mas quando falamos em médium a referência é feita aos que tem essas faculdades mais desenvolvidas, capazes de transmitir o pensamento dos espíritos, ou servir como veículo para suas manifestações na matéria.
Há médiuns, desde aqueles que possuem faculdades apenas latentes, até aqueles outros nos quais elas se apresentam com toda a sua potencialidade.
Os primeiros, regra geral, não têm maiores compromissos nesse terreno, enquanto uma mediunidade estuante certamente está informando que há tarefas de maior ou menor abrangência em sua pauta reencarnatória.
Também há casos em que a tarefa é ampliada no decorrer dos anos, a depender do desempenho do médium, enquanto em outros ela não chega a ser cumprida em sua totalidade. E há também aqueles, infelizmente muitos, que a abandonam a meio do caminho, sem falar nos que nem chegam a iniciá-la.
Na maioria dos centros espíritas há cursos para médiuns, com estudos doutrinários e sobre mediunidade, nos quais os participantes vão aprendendo a se concentrar e a educar suas faculdades. Isto é muito importante para que a sua tarefa possa desenvolver-se com equilíbrio e dentro dos princípios de ética ensinados pelo Espiritismo.
A mediunidade praticada com amor, dedicação e desprendimento é fator de equilíbrio e paz para seu portador.

PERGUNTA FREQÜENTE

Quais são as principais atividades mediúnicas desenvolvidas num centro espírita?

As principais atividades mediúnicas nos centros espíritas são a desobsessão e o atendimento a espíritos sofredores.
Alguns centros também se dedicam a curas através da mediunidade, nos mais variados formatos.
Mas as faculdades mediúnicas também são utilizadas para contatos com espíritos orientadores, para recepção de mensagens, para escrita de livros, e muitas outras finalidades voltadas para o bem.
E há ainda a pintura de quadros, por espíritos de pintores, a composição de músicas, etc.

Mediunidade

VIDA ALÉM DA MORTE

Que acontece com o espírito,
quando morre seu corpo?




PERGUNTA FREQÜENTE

Existe vida depois da morte?
As pesquisas científicas indicam que sim, e as religiões também afirmam que, de alguma forma, a vida continua depois desta vida, nem que seja em estado latente, aguardando a ressurreição dos mortos.
Só que aí surge uma questão da mais alta importância: se todos havemos de morrer um dia, como estaremos nesse além da vida? Será que vamos ficar armazenados em algum galpão celestial, aguardando o juízo final? Ou quem sabe, prostrados diante do trono divino, em adoração, pela eternidade afora? Ou talvez sentados no beiral de uma nuvem tocando harpa?
Será que uma natureza dinâmica, como a do ser humano, iria suportar um estado de inatividade, inócuo e vazio, por toda a Eternidade?
São os próprios espíritos que têm dado as mais completas explicações sobre esse outro lado da vida. Essas informações têm chegado, principalmente através da psicografia, por intermédio de inúmeros médiuns, nos mais diferentes pontos da Terra e nas mais diversas épocas.
 Nessas mensagens, dirigidas em sua maioria a parentes e amigos, os espíritos contam como foi a sua passagem para o mundo ou dimensão espiritual, e como é essa nova realidade.
Também pela TCI – Transcomunicação Instrumental, os espíritos se comunicam através de aparelhos eletrônicos, passando informações semelhantes.
Um dos portadores das mais amplas e detalhadas notícias sobre o mundo espiritual, a vida e atividades dos seus habitantes - através da mediunidade - é o espírito André Luiz, nos 11 livros psicografados por Francisco Cândido Xavier (Chico Xavier): Nosso Lar, Os Mensageiros, Missionários da Luz, Obreiros da Vida Eterna, No Mundo Maior, Libertação, Entre a Terra e o Céu, Nos Domínios da Mediunidade, Ação e Ração, Sexo e Destino, E a Vida Continua.

André Luiz nos mostra que esse outro lado da vida é muito parecido com o lado de cá. Há muitas semelhanças. Ninguém fica vagando no espaço como alma penada, nem tocando harpa no beiral de uma nuvem. O mundo espiritual, para os espíritos, é tão real e dinâmico quanto o mundo físico é para nós.
É por isso que muitos espíritos não sabem, ou não conseguem acreditar que já morreram. São daqueles que pensam que ao morrer irão para o céu, o purgatório ou mesmo para o inferno, ou então, que a morte irá apagá-los de vez. Mas, ao invés disso, encontram-se quase como antes. Muitos voltam para o lar, para os ambientes do trabalho ou do lazer. Vêem as pessoas, falam com elas, mas as pessoas não lhes dão a menor atenção. Alguns pensam que ficaram loucos, ou que estão vivendo um pesadelo interminável. Muitos assistem ao próprio velório e sepultamento, mas não aceitam a idéia de que aqueles funerais sejam os seus. Espíritos nessa condição são popularmente conhecidos como sofredores.
Uma das atividades dos centros espíritas é o esclarecimento a esses irmãos tão necessitados. Eles se incorporam ao médium e o doutrinador conversa com eles explicando-lhes a realidade. O grupo todo envolve o irmão sofredor em vibrações de paz e de amor. É como ele se alivia e consegue melhorar a própria freqüência vibratória.
Essa elevação vibratória é necessária para que ele possa ser socorrido e levado para tratamento em local adequado.
Mas há também aqueles que retornam à dimensão espiritual mais ou menos conscientes do que está ocorrendo, ou seja, sabem, ou mesmo desconfiam que desencarnaram, ou “morreram”.
Quando alguém desencarna é muito importante que receba vibrações de paz, em vez das manifestações de desespero que geralmente acontecem nessas situações.
Muitos espíritos têm relatado através da mediunidade seus dramas, sofrimentos e aflições, por causa do desespero e desequilíbrio dos parentes e amigos, após seus desenlaces. Eles dizem que as lágrimas dos entes queridos que ficaram na Terra, suas vibrações angustiadas, chegam a eles com muita intensidade, provocando-lhes sofrimentos e aflições sem conta.
Por isso, diante da morte, a atitude dos presentes deve ser de respeito, serenidade, equilíbrio e, acima de tudo, prece. O recém-desencarnado necessita de paz e de muita oração.

PERGUNTA OPORTUNA
Que é freqüência vibratória?
O pensamento e a emoção produzem o que se conhece como vibração, e o seu teor reflete o que há em nossa alma, definindo a freqüência dessa vibração, desde a mais baixa até a mais elevada que a nossa condição possa gerar.
O escritor Francisco Carvalho, no livro Influências Energéticas Humanas, elabora uma escala imaginária que vai de zero a cem graus, com os seguintes valores: no grau zero teríamos o ódio, emoção de mais baixo teor vibratório; nos 10 graus os desejos de vingança; nos 20, a inveja, o ciúme; nos 30, o rancor, o azedume, os ressentimentos e assim por diante, até os neutros, nos 50 graus. Nos 70, já numa faixa positiva, teríamos a esperança; nos 80, a fé; nos 90, a oração e a alegria e, finalmente, nos 100, o amor, a mais forte vibração de teor positivo.
Ainda na escala de vibrações de baixo teor podemos acrescentar as inúmeras “curtições” de natureza inferior, como as mais diversas taras, a crueldade, a perversidade, os muitos tipos de perversão, as conversas voltadas às baixas paixões, os mais diversos vícios, etc.
Já, para elevar o teor vibratório, também podemos acrescentar os sentimentos nobres, as leituras e conversas voltadas para assuntos ligados à religiosidade, à fraternidade, ao amor puro; a alegria sã e a meditação em temas luminosos, enfim, tudo que possa abrir canais entre nós e as forças mais altas da vida.
 Quanto a mais informações sobre espíritos e mundo espiritual, há extensa bibliografia a respeito, particularmente pela psicografia de Chico Xavier, inclusive casos em que foram feitas perícias da letra e assinatura do espírito, comparando-se com sua letra e assinatura, quando ainda encarnado, e o diagnóstico dos peritos afirmou tratar-se da mesma pessoa.

Sempre que alguém te ofender, ou quando estiveres em presença,
 nas proximidades, ou mesmo apenas pensando na pessoa que te magoa
 ou com a qual antipatizas, faz o seguinte exercício:
“Respira fundo, buscando relaxar.
Procura encher o coração com amor e diga mentalmente:
“Quero que tu, Fulano, estejas em paz.
Quero que estejas bem, com saúde e prosperidade.
Que Deus te abençôe, e te faça feliz”.
Isto te fará infinito bem.

Obsessão espiritual

Obsessão espiritual

Nas últimas décadas a obsessão espiritual vem grassando na Terra, cada vez mais e mais, causando perturbações e sofrimentos os mais variados.
Ela é, certamente, uma doença, só que é doença da alma, ou melhor, a nossa alma é que favorece as condições necessárias para as obsessões poderem se instalar.
Mas, o que é uma obsessão? É o domínio que um espírito exerce sobre alguém. Esse domínio ocorre em variados graus, desde os mais leves até aqueles que vão da fascinação à subjugação, podendo chegar à possessão.
Conforme explica Allan Kardec, o codificador do Espiritismo, “A obsessão é uma ação permanente que um espírito mau exerce sobre um indivíduo”.
É uma ação permanente e não esporádica, em que o espírito perseguidor permanece junto ao obsidiado, usando todos os recursos que conhece e dos quais consegue lançar mão, para alcançar o que pretende.
A ação obsessiva é exercida por um espírito que, nessa ação, está sendo mau; não é exercida por um espírito bom, ou mesmo por um “sofredor”, porque é uma ação maléfica, visando geralmente vingança.

PERGUNTA FREQÜENTE
Um espírito pode ser eternamente mau?
 Quando se fala em espíritos maus não se quer dizer que eles o sejam eternamente, ou que já tenham sido criados assim. Eles não são diferentes de nós, apenas seguiram por caminhos em desacordo com as leis cósmicas descendo moralmente aos mais diversos níveis. Há obsessores que agem com maldade apenas em relação aos objetos do seu ódio. Outros sentem verdadeiro prazer em serem maus e há mesmo aqueles terrivelmente perversos, cruéis, verdadeiros monstros de maldade e perversões de toda natureza. São os que muitos classificam como Demônios, Satanás, Diabo etc.


Promoção relampago valida para dia 24 de maio a 31 de maio 2011.

Promoção relampago valida para dia 24 de maio a 31 de maio 2011.
CONSULTA COMPLETA SAO CIPRIANO + 1 PERGUNTA $ 60,00
CONSULTA SOMENTE PERGUNTAS 30 MINUTOS GANHE + 10 MINUTOS DE CONSULTA $ 35,00
CONSULTA SOMENTE PERGUNTAS 20 MINUTOS GANHE + 10 MINUTOS $ 25,00
DEPOSITO ANTECIPADO 2HS ANTES DA CONSULTA OU TRANSFERENCIA ON LINE, COMPROVANTE DE DEPOSITO VIA E-MAIL.NÃO FAREI CONSULTA SEM COMPROVANTE
email karinetejada@yahoo.com.br

Promoção relampago valida para dia 01  a 13 de Junho 2011.
CONSULTA COMPLETA SAO CIPRIANO + 1 PERGUNTA $  60,00
CONSULTA SOMENTE PERGUNTAS 30 MINUTOS  GANHE + 10 MINUTOS DE CONSULTA $ 35,00
CONSULTA SOMENTE PERGUNTAS 20 MINUTOS GANHE + 10 MINUTOS $ 25,00

CONSULTA TAROT DE MARSELHA COMPLETA AQUI A TIRAGEM MOSTRA UM PANORAMA GERAL DA SUA VIDA DESDE COMO VC ESTA ATE COMO ESTA SUA ENERGIA,NO AMOR FINANCEIRO E PESSOAL. $ 70,00

KITS DE AMOR PARA O DIA DOS NAMORADOS APROVEITE PARA DEIXAR SUA RELACAO AINDA MAIS QUENTE NESTE DIA DE AMOR.
DEPOSITO ANTECIPADO 2HS ANTES DA CONSULTA OU TRANSFERENCIA ON LINE, COMPROVANTE DE DEPOSITO VIA E-MAIL.NÃO FAREI CONSULTA SEM COMPROVANTE DE DEPOSITO OU TRANSFERENCIA NO E-MAIL.
todas as consultas são via MSN
email karinetejada@yahoo.com.br

sábado, 14 de maio de 2011

Prece para ajudar financeiramente

Deus Pai Celestial, o mais cortês e amoroso, eu te invoco, Tu que bendizes
minha família abundantemente. Sei que Tu reconheces que uma família é mais
do que só uma mãe, pai, irmã e irmão, marido e esposa, senão um grupo onde
todos crêem e confiam em Ti.

Deus meu, Te elevo esta oração para que me bendigas financeiramente. Assim
também desejo esta benção financeira não só à pessoa que me enviou CELIA, como a todos aqueles a quem enviarei e a todos que mais
adiante a receberem.

Sabemos do poder da oração unida por todos aqueles que crêem e confiam em
Ti. Pai Amado, és o mais poderoso que pode existir.
Eu te agradeço de antemão por Tuas bênçãos. Que DEUS Pai entregue agora
mesmo à pessoa que lê isto, a abundância e misericórdia para o
cancelamento de suas dívidas e cargas econômicas, que floresçam seus bens,
de acordo com a Sua Vontade Divina, em harmonia perfeita para todo o mundo
e sob Sua Graça Divina.

Que Ele derrame Sua piedosa sabedoria e que possamos ser bons servidores e
administradores das bênçãos financeiras de Deus.

Sabemos o maravilhoso e poderoso que És Pai Nosso e sabemos que se apenas Te
obedecermos e caminharmos em Tua Palavra, ainda que tenhamos a fé do
tamanho de uma semente de mostarda, Tu derramarás sobre todos nós Tuas
bênçãos. Te agradeço agora Pai e Senhor Nosso, pelas bênçãos que acabamos
de receber e as bênçãos que hão de vir.

Em nome de Deus, Amém.

Prece para afastar os maus espiritos

Prece para afastar os maus espiritos

Prece para afastar os maus espiritos
Por mim, minha família e nossa casa

Prece – Em nome de Deus Todo-Poderoso, que os maus Espíritos se afastem de mim, e que os Bons me defendam deles! Espíritos malfazejos, que inspirais maus pensamentos aos homens; Espíritos enganadores e mentirosos, que os enganais; Espíritos zombeteiros, que zombais da sua credulidade, eu vos repilo com todas as minhas forças e fecho os meus ouvidos às vossas sugestões, mas peço para vós a misericórdia de Deus. Bons Espíritos, que me assistis, dai-me a força de resistir à influência dos maus Espíritos, e as luzes necessárias para não cair nas suas tramas. Preservai-me do orgulho e da presunção, afastai do meu coração o ciúme, o ódio, a malevolência, e todos os sentimentos contrários à caridade, que são outras tantas portas abertas aos Espíritos maus.

Oração para atrair um grande amor!!21 dias

Oração para atrair um grande amor!!21 dias

Oração para atrair um grande amor!!21 dias
Oração para atrair um grande amor!!
Repita as seguintes frases com muita fé:

- Adoro saber que a minha companheiro ideal está em processo de me amar tanto quanto eu a amo!
- Adoro como me sinto quando lembro e penso nos momentos que vivemos e ainda viveremos!
- Decidi que este homem é quem eu vou namorar firme de agora em diante!
- Cada vez mais este homem me ama e me quer!
- Fico entusiamado só de pensar que ele virá a mim e lutará contra todos os preconceitos por me amar!
- Adoro a idéia e tê-lo comigo ao meu lado sempre que desejamos nos ver!
- Adoro me ver ao lado dele, amando-o e sendo amado por ela, sendo feliz e fazendo-a feliz!